>
Para uma visita virtual Clique Aqui
Ingressei no PROGRAU assumindo o desafio de compor sua primeira turma. Retornava à Pelotas com o objetivo de enfrentar e atuar, diante dos desafios profissionais da arquitetura e urbanismo. Um novo ambiente; de descobertas, de investigações e de inquietações ... a possibilidade de construir uma trajetória. Esta é a grande oportunidade da pesquisa, da continuidade na formação universitária e do nosso próprio Programa de Pós-Graduação. Acredito que o PROGRAU é um campo aberto; à reflexão, à formação e à construção individual (Otávio Martins Peres, Arquiteto e Urbanista pela UFRGS e Mestre em Arquitetura e Urbanismo pelo PROGRAU-UFPel).
A Cidade Um Pouco de História...
Biblioteca Municipal de Pelotas. Foto: Daniel Giannechini.

Pelotas é uma cidade da Região Sul do Estado do Rio Grande do Sul, estando localizada a 250 quilômetros da Capital do Estado, Porto Alegre. Possui uma população de aproximadamente 330 mil habitantes, sendo a terceira cidade mais populosa do Estado.

A cidade é repleta de estudantes de graduação e pós-graduação,os quais são responsáveis pela essência acadêmica, científica, cultural e simbólica da cidade. A cidade conta com cinco instituições de ensino superior, quatro escolas técnicas, dois teatros, uma biblioteca pública, vinte e três museus, dois jornais de circulação diária, três emissoras de televisão, um aeroporto e um porto flúvio-lacustre localizado às margens do Canal São Gonçalo.

Biblioteca Municipal de Pelotas. Foto: Daniel Giannechini.

Tanto a zona urbana quanto a rural de Pelotas conta com monumentos, paisagens e belas vistas, que levaram a televisão brasileira a escolher o município já por três vezes como cenário para suas produções: “Incidente em Antares”, cuja locação foi feita na zona do porto; “A Casa das Sete Mulheres”, gravada numa charqueada na zona rural, e do filme “O Tempo e o Vento”, cujas filmagens ocorreram no fim de abril de 2012.

Prefeitura e Biblioteca Municipal de Pelotas. Foto: Sinval Cantarelli.

O PROGRAU faz parte da grande estrutura acadêmica da Universidade Federal de Pelotas fundada em 1969. A Universidade é a principal instituição de ensino da cidade e consta com 99 cursos de graduação, 39 cursos de mestrado e 16 de doutorado distribuídos em 20 unidades acadêmicas. O nosso Programa faz parte da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFPel, cujos primeiros estudos para sua implantação datam de 1970. Na época havia somente dois cursos de Arquitetura e Urbanismo na Região Sul do País – em Porto Alegre e Curitiba – fato este que contribuiu para a implantação do ensino nesta área na Universidade. Ao criar o Curso de Arquitetura e Urbanismo a UFPel abrigaria o segundo curso de Arquitetura do Rio Grande do Sul. No ano seguinte a Portaria n° 215, de 24 de novembro de 1971, da Reitoria da UFPel, criava e implantava o Curso de Arquitetura no Instituto de Artes. Hoje a cidade de Pelotas se destaca pela importância do seu acervo arquitetônico que se reflete nas mais diversas pesquisas desenvolvidas no PROGRAU, o qual enfatiza a importância do estudo e da análise urbana para fundamentar futuras intervenções na cidade.

Onde está Pelotas:

A história da cidade de Pelotas começa em Junho de 1758, através da doação que Gomes Freire de Andrade, Conde de Bobadela, fez ao Coronel Thomáz Luiz Osório, das terras que ficavam às margens da Lagoa dos Patos. Em 1763, fugindo da invasão espanhola, muitos habitantes da Vila de Rio Grande buscaram refúgio nas terras pertencentes a Thomáz Luiz Osório. Mais tarde, vieram também os retirantes da Colônia do Sacramento, entregue pelos portugueses aos espanhóis em 1777.

Em 1780, instala-se em Pelotas o charqueador português José Pinto Martins. A prosperidade do estabelecimento estimulou a criação de outras charqueadas e o crescimento da região, dando origem à povoação que demarcaria o início da cidade de Pelotas. Com o sucesso dessa indústria, os charqueadores, dispondo de duas estações amenas, construíam palacetes para suas habitações e promoviam a cultura e a educação, no ambiente urbano, exemplificado pela inauguração do Teatro Sete de Abril, em 1831, quatro anos antes de Pelotas ser elevada à condição de cidade.

A Freguesia de São Francisco de Paula, fundada em 7 de Julho de 1812 por iniciativa do Padre Pedro Pereira de Mesquita, foi elevada à categoria de Vila em 7 de abril de 1832. Três anos depois, em 1835, a Vila é elevada à condição de Cidade, com o nome de Pelotas.O nome do município, “Pelotas”, teve origem nas embarcações de varas de corticeira forradas de couro, usadas para a travessia dos rios na época das charqueadas.

Teatro Sete de Abril, Pelotas. Fonte: Projeto Pelotas Memória.
Praça Coronel Pedro Osório. Pelotas. Fonte: Projeto Pelotas Memória.

A Cidade dos Doces Portugueses

Atualmente conhecida como a Capital Nacional do Doce, teve os primeiros doces introduzidos, aproximadamente na década de 1860, quando começa o período de apogeu do município. De 1860 a 1890 os investimentos foram intensos em atividades de cunho cultural que caracterizaram, durante anos, Pelotas como a cidade mais aristocrática do Rio Grande do Sul. Os doces eram servidos nos intervalos dos saraus (festas com música) envolvidos em papéis de seda rendados e franjados. Sua produção era realizada de maneira caseira pelas mulheres e suas escravas. Como existiam rigorosas regras de etiqueta na época, muitas atividades não poderiam ser desenvolvidas ao ar livre; as mulheres passaram então a praticar hábitos caseiros, com reconhecido destaque na culinária, bordado, música e pintura. Esse fato, portanto, contribuiu para a intensa produção e aprimoramento dos doces em Pelotas.

Em 2003, os doces artesanais de Pelotas e o acervo de receitas portuguesas e açorianas foram considerados Patrimônio Cultural do Estado do Rio Grande do Sul, de acordo com o Projeto de Lei 201/2003, aprovado por unanimidade no plenário da Assembléia Legislativa. A Feira Nacional do Doce, popularmente conhecida como Fenadoce, é um evento que hoje ocorre na cidade, desde o ano de 1986 e ao longo do tempo, consagrou-se como uma das principais atrações turísticas da região sul do Brasil, com uma mistura de shows, gastronomia, lazer e turismo, Pelotas recebe uma parcela de mais de 300 mil turistas durante a realização do evento, vindos das mais diversas localidades do país e do exterior (Fonte: www.docurasdepelotas.com.br).